Acesso à informação
Você está aqui: Página Inicial Informações Notícias Vigiagro Fiscais federais discutem procedimentos para exportação

Fiscais federais discutem procedimentos para exportação

  • Google +
Cerca de 50 profissionais dos estados de MT, GO, SP, MG e RJ participam de encontro que definirá padronização em frigoríficos habilitados a exportar para os Estados Unidos.

Cerca de 50 profissionais dos estados de MT, GO, SP, MG e RJ participam de encontro que definirá padronização em frigoríficos habilitados a exportar para os Estados Unidos.

Com o objetivo de atender o compromisso firmado com governo americano, o Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, realiza em São Paulo reunião técnica com a presença de fiscais federais agropecuários de cinco estados que possuem frigoríficos habilitados para exportar produtos cárneos (bovina) para os Estados Unidos: Rio de Janeiro, Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás e São Paulo. A discussão visa padronizar e aperfeiçoar ações executadas pelo Serviço de Inspeção Federal junto aos estabelecimentos.

O encontro, que teve início na segunda-feira (2), tem como finalidade organizar e discutir a adoção de procedimentos apontados como necessários durante a missão técnica realizada em fevereiro e março de 2013. As recomendações foram feitas por técnicos americanos do Serviço de Inspeção e Segurança Alimentar (FSIS), do Departamento de Agricultura Norte-Americano (USDA). As observações deram origem a um relatório que motivou a realização da reunião técnica, que conta com a presença de aproximadamente 50 participantes.

O diretor substituto do Dipoa, Clóvis Serafini, explica que a reunião é uma maneira de definir padrões no controle oficial das ações a serem executadas em todos os estados habilitados para a exportação deste tipo de produto de origem animal, além de garantir espaço no comércio. “É um encontro fundamental não apenas para a manutenção do mercado americano para os produtos cárneos brasileiros, como também, e principalmente, para a abertura do mercado de carne bovina fresca”, enfatiza.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação Social
(61) 3218-3085/2203
Esther Caldas
esther.silva@agricultura.gov.br